Trabalho sobre Discalculia

Loading...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Resgate de Brincadeiras Antigas

Antigamente não existiam muito brinquedos e se as crianças quisessem se divertir tinham que usar a criatividade. As brincadeiras antigas para crianças mais famosas eram: Amarelinha, bolinha de gude, cantigas de roda, passa anel, roda pião, pipa… Tudo isso fazia parte do seu cotidiano e assim elas se divertiam por horas e dias.


Gira pião: Alguém da turma esculpia um pião num carretel de madeira e todos se reuniam em volta de um circulo riscado no chão para alí atirar o pião. O impulso no pião podia ser dado com um barbante que era enrrolado na ponta ou até mesmo com as próprias mãos. O pião deveria girar dentro do circulo riscado no chão, se saisse fora deste circulo o jogador dono do pião  saía fora da brincadeira. Esta brincadeira tinha muitas variações e também dependia da criatividade de cada jogador.
  
- Amarelinha: Consistia em fazer quadrados no chão com um giz ou até mesmo com um pedaço de tijolo velho. Nestes quadrados eram escritos números de 1 a 10 e no topo o céu, em formato oval.Cada jogador, então, jogava  uma pedrinha, inicialmente na casa de número 1, devendo acertá-la em seus limites. Em seguida pulava, em um pé só nas casas isoladas e com os dois nas casas duplas, evitando a que contém a pedrinha.
Chegando ao céu, pisava  com os dois pés e retorna pulando da mesma forma até as casas 2-3, de onde o jogador precisava apanhar a pedrinha do chão, sem perder o equilíbrio, e pular de volta ao ponto de partida. Não cometendo erros, joga a pedrinha na casa 2 e sucessivas, repetindo todo processo. Se perdesse  o equilíbrio, colocando a mão no chão ou pisando fora dos limites das casas, o jogador passa a vez para o próximo, retornando a jogar do ponto em que errou ao chegar a sua vez novamente.
Ganhava o jogo quem primeiro alcançar o céu.




Cantigas de Roda: Também conhecida como ciranda-cirandinha ou brincadeiras de roda, onde várias crianças davam as mãos  formando  um círculo, e começavam a cantar músicas do folclore brasileiro fazendo coreoagrafias pré-estabelecidas de acordo com a história que a música falava.
A música mais conhecida para as brincadeiras de roda é a:
Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar .
O anel que tu me deste era vidro e se quebrou .
O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou .
Por isso,  Fulano entre dentro dessa roda .
Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá-se embora .


- Bolinha de Gude: Há diversas variações desta brincadeiras, as crianças podem apenas desenhar um circulo no chão ou sobre a terra, e tentar  com a própria bolinha retirar de dentro deste circulo a bolinha do outro jogador. Também existem as versões da Bolinha de Gude na Covinha, que consiste em fazer covinhas na terra e lá colocar a bolinha de gude, o adversário tem que arremessar a própria bolinha e retirar de dentro da covinha a bolinha do outro coleguinha.


- Cinco Marias: São saquinhos de tecido recheados com areia, grãos ou semente. Para brincar são necessários cinco saquinhos de tecido de mais ou menos 4 cm por 3 cm, com enchimento de areia, farinha, ou grãos de arroz. O jogador tem que deixar todos os saquinhos no chão e ir um a um jogando-os para cima sem deixa-los cair novamente no chão, tem de agarra-los antes que eles toquem o chão novamente. Isso tem de ser feito com os 5 saquinhos. Quem deixar cair os saquinhos passa a vez para o outro coleguinha.



domingo, 3 de outubro de 2010

Dificuldades na Sala de Aula

Este Blog tem como objetivo apresentar algumas dificuldades na aprendizagem visando compartilhar experiências e trocas de informações com pais, professores e alunos.
          No Brasil as estatísticas mostram que aproximadamente 15 milhões de pessoas apresentam algum tipo de necessidade especial.

O termo 'dificuldade de aprendizagem' começou a ser usado na década de 60 e até hoje na maioria das vezes é confundido por pais e professores como uma simples desatenção em sala de aula ou 'espírito bagunceiro' das crianças. Mas a dificuldade de aprendizagem refere-se a um distúrbio que pode ser gerado por uma série de problemas cognitivos ou emocionais que pode afetar qualquer área do desempenho escolar.
A dificuldade mais conhecida e que vem tendo grande repercussão na atualidade é o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), porém é necessário estarmos atentos a outros sérios problemas: disgrafia, discalculia, disfalia, disortografia e o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

 
Dislexia: é a dificuldade que aparece na leitura, impedindo o aluno de ser fluente, pois faz trocas ou omissões de letras, inverte sílabas, apresenta leitura lenta, dá pulos de linhas ao ler um texto, etc. Estudiosos afirmam que sua causa vem de fatores genéticos, mas nada foi comprovado pela medicina.
O filme “Como Estrelas na Terra, Toda Criança é Especial”, é uma ótima opção para os interessados em saber mais sobre a Dislexia. O filme conta a história de um garoto que sofre com dislexia e custa a ser compreendida, ele já repetiu uma vez o terceiro período  e corre o risco de repetir de novo. As letras dançam em sua frente, como diz, e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção. Seu pai acredita apenas na hipótese de falta de disciplina e trata Ishaan com muita rudez e falta de sensibilidade. Após serem chamados na escola para falar com a diretora, o pai do garoto decide levá-lo a um internato, após a internação o garoto entra em depresão. Lá ele conhece professor substituto de artes que mudará sua vida.


Discalculia: é a dificuldade para cálculos e números, de um modo geral os portadores não identificam os sinais das quatro operações e não sabem usá-los, não entendem enunciados de problemas, não conseguem quantificar ou fazer comparações, não entendem seqüências lógicas e outros. Esse problema é um dos mais sérios, porém ainda pouco conhecido.

Disfalia: é a dificuldade na emissão da fala, apresenta pronúncia inadequada das palavras, com trocas de fonemas e sons errados, tornando-as confusas. Manifesta-se mais em pessoas com problemas no palato, flacidez na língua ou lábio leporino.

TDAH: O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um problema de ordem neurológica, que trás consigo sinais evidentes de inquietude, desatenção, falta de concentração e impulsividade. Hoje em dia é muito comum vermos crianças e adolescentes sendo rotulados como DDA (Distúrbio de Déficit de Atenção), porque apresentam alguma agitação, nervosismo e inquietação, fatores que podem advir de causas emocionais. É importante que esse diagnóstico seja feito por um médico e outros profissionais capacitados.

Você tem Disgrafia? E disortografia? Sabe o que é?

Bom, a disgrafia é também chamada de letra feia. Será que todo médico é disgráfico? A disgrafia ocorre em pessoas que possuem uma incapacidade de recordar a grafia da letra. Ao tentar se lembrar, ela escreve muito lentamente o que acaba unindo de forma inadequada as letras, tornando a letra ilegível. Algumas pessoas com disgrafia possuem também uma disortografia (amontoa letras para esconder os erros ortográficos). Mas lembre-se: a disgrafia não está associada a nenhum tipo de comprometimento intelectual.
Suas características são:

- - Lentidão na escrita.
- - Letra ilegível.
- - Escrita desorganizada.
- - Traços irregulares: ou muito fortes que chegam a marcar o papel ou muito leves.
- - Desorganização geral na folha por não possuir orientação espacial.
- - Desorganização do texto, pois não observam a margem parando muito antes ou ultrapassando. Quando este último acontece, tende a amontoar letras na borda da folha.
- - Desorganização das letras: letras retocadas, hastes mal feitas, atrofiadas, omissão de letras, palavras, números, formas distorcidas, movimentos contrários à escrita (um S ao invés do 5 por exemplo).
- - Desorganização das formas: tamanho muito pequeno ou muito grande, escrita alongada ou comprida.
- - O espaço que dá entre as linhas, palavras e letras são irregulares.
- - Liga as letras de forma inadequada e com espaçamento irregular.

Para ser considerado disgráfico, a pessoa apresenta diversas características destas citadas acima.
Podemos encontrar dois tipos de disgrafia:
 Disgrafia motora (discaligrafia): a criança consegue falar e ler, mas encontra dificuldades na coordenação motora fina para escrever as letras, palavras e números, ou seja, vê a figura gráfica, mas não consegue fazer os movimentos para escrever.
Disgrafia perceptiva: não consegue fazer relação entre o sistema simbólico e as grafias que representam os sons, as palavras e frases. Possui as características da dislexia sendo que esta está associada à leitura e a disgrafia está associada à escrita.

Como se dá o tratamento?
O tratamento requer uma estimulação lingüística global; um atendimento individualizado e atividades complementares à escola.
Os pais e professores, por sua vez, devem evitar repreender a criança.
Reforçar o aluno de forma positiva sempre que conseguir realizar uma conquista.
Na avaliação escolar dar mais ênfase à expressão oral.
Evitar o uso de canetas vermelhas na correção dos cadernos e provas.
Conscientizar o aluno de seu problema e ajudá-lo de forma positiva.



Dicas para Lidar com Crianças Hiperativas na sala de aula:

PERGUNTE À CRIANÇA O QUE PODE AJUDAR Estas crianças são sempre muito intuitivas. elas sabem dizer a forma mais fácil de aprender, se você perguntar. Elas ficam normalmente temerosas em oferecer informação voluntariamente porque isto pode ser algo muito ousado ou extravagante. Mas tente o sentar sozinho com a criança e perguntar a ela como ela pode aprender melhor. O melhor especialista para dizer como a criança aprende é a própria criança. É assustadora a freqüência com que suas opiniões são ignoradas ou não são solicitadas. Além do mais, especialmente com crianças mais velhas, tenha certeza de que ela entende o que é HIPERATIVIDADE. Isto vai ajudar muito a vocês dois.

Lembre-se de que as crianças com HIPERATIVIDADE necessitam de estruturação. Elas precisam estruturar o ambiente externo, já que não podem se estruturar internamente por isso mesmos. Faça listas. Crianças com HIPERATIVIDADE se beneficiam enormemente quando têm uma tabela ou lista para consultar quando se perdem no que estão fazendo. Elas necessitam de algo para fazê-las lembrar das coisas. Eles necessitam de previsões. Eles necessitam de repetições. Elas necessitam de diretrizes. Elas precisam de limites. Elas precisam de organização.

Procure a qualidade ao invés de quantidade dos deveres de casa. Crianças HIPERATIVIDADE frequentemente necessitam de uma carga reduzida. Enquanto estão aprendendo os conceitos, elas devem ser livres. Elas vão utilizar o mesmo tempo de estudo e não vão produzir nem mais nem menos do que elas podem.

Esforce-se e não se dê satisfeito, tanto quanto puder. Estas crianças convivem com o fracasso, e precisam de tudo de positivo que você puder oferecer. O fracasso não pode ser superenfatizado: estas crianças precisam e se beneficiam com os elogios. Elas adoram o encorajamento. Elas absorvem e crescem com isto. E sem isto elas retrocedem e murcham. Frequentemente o mais devastador aspecto da HIPERATIVIDADE não é HIPERATIVIDADE propriamente dita e sim o prejuízo à auto-estima. Então, alimente estas crianças com encorajamento e elogios.

Para saber mais acesse: http://www.rota83.com/50-dicas-para-lidar-com-a-hiperatividade-na-sala-de-aula.html

Jogos Educacionais

Colocamos aqui sugestões de jogos pedagógicos que podem ajudar os alunos que possuem algum tipo de dificuldade.
Colocamos também o link para site “PsicopedagogiaBrasil prazer em aprender” que disponibiliza vários jogos pedagógicos onlines para se trabalhar com as dificuldades na aprendizagem.
E as opções são muitas como, brincadeiras antigas e muitas outras novidades.
Então o que você está esperando vai logo dar uma conferida!!!



Alfabeto braille 


Marca: CARIMBRÁS
Idade: de 3 a 10 anos.
Trabalha e identifica o aprendizado do alfabeto para as crianças com necessidades especias. Contém 27 peças medindo 9 x 4 x 1,5 cm. Acondicionado em pote de plástico.


Alfabeto libra vazado EVA

Marca: CARLU
Idade: de 3 a 10 anos.
Auxilia no ensino do alfabeto Libra para deficientes auditivos. Contém 1 placa no tamanho de 22 x 32 cm em EVA. Acondicionado em embalagem plástica.

Árvore pedágógica

Marca: SIMQUE
Idade: de 3 a 10 anos.
Um jogo atraente e divertido. Permite o trabalho com identificação de cores, quantidades, lateralidade, coordenação, operações aritméticas de soma e subtração. Material: madeira - nº de peças: 84 - 15x19 (cada).

Amarelinha

 

Marca: BRINQI
Idade: de 2 a 10 anos.
Dimensões (CxLxA): 240 x 70 cm
Um excelente jogo de ótima visualização, sociabilidade dinâmica e muita diversão. Facilita a compreensão do sistema de numeração decimal e das operações matemáticas básicas.Confeccionado em espuma e bagum sendo o tamanho do tabuleiro 240 x 70 cm. Acompanha estrelinha para jogar.

Livros sobre o tema "Dificuldades na Aprendizagem".

Este tópico foi criado com o objetivo de fornecer aos nossos leitores indicações de livros que tratam o tema “Dificuldades na Aprendizagem”.


Sub-Título: Um guia completo para pais e educadores
Autor: Corinne Smith; Lisa Strick
Editora: ARTMED
ISBN: 8573076402
Páginas: 334
Publicação: 2001
Edição: 1ª edição
Encadernação: Brochura
Volumes: 1
Idioma: Português
Corinne Smith e Lisa Strick oferecem um guia abrangente para as causas, a identificação e o tratamento das dificuldades de aprendizagem. Você irá aprender como estes pequenos distúrbios podem ter impacto significativo.


Autor: Jesús-Nicasio García Sánchez
Editora: ARTMED
ISBN: 853630068x
Páginas: 296
Publicação: 2004
Edição: 1ª edição
Encadernação: Brochura
Volumes: 1
Idioma: Português
Este livro apresenta pesquisas que se desenvolveram nos últimos anos e contribuiram para o desenvolvimento da psicopedagogia, que está se firmando como uma área do conhecimento importante na melhora da qualidade de vida das pessoas.



Sub-Título: Questões clínicas e educacionais
Autor: Jaime Luiz Zorzi
Editora: ARTMED
ISBN: 8536301406
Páginas: 174
Publicação: 2003
Edição: 1ª edição
Encadernação: Brochura
Volumes: 1
Idioma: Português
Este livro descreve o que ler e escrever significaram, os desafios que representam , assim como um conjunto de conhecimentos que clínicos e educadores devem ter para poder atuar e ter a possibilidade de diferenciar, compreender e buscar a reais dificuldades de aprendizagem.


Autor: POLITY, ELIZABETH
Editora: VETOR
ISBN: 8587516833
Páginas: 240
Publicação: 2002
Edição: 1ª edição
Encadernação: Brochura
Volumes: 1
Idioma: Português
O livro é um desdobramento da pesquisa da autora, que investiga o Processo de Transformação das Relações Pedagógicas, o PTRP. Este instrumento caracteriza a proposta da autora na facilitação da conversação com os professores, organizada em torno do tema da dificuldade de ensinagem e, envolvendo a história de família de origem do professor, os mitos quanto a aprendizagem e sua representação social sobre os contextos de ensinagem, organizando suas narrativas.



Autor: Nunes, Buarque, Bryant
Editora: CORTEZ
ISBN: 8524904542
Páginas: 112
Publicação: 2003
Edição: 3ª edição
Encadernação: Brochura
Volumes: 1
Idioma: Português
Ao mandar seus filhos para a escola, os pais tem uma expectativa clara: meu filho vai aprender a ler. No entanto, uma percentagem significativa de crianças não aprende a ler, contrariando o esperado. As razões para essa decepção pode ser as mais variadas. Uma delas é que a criança pode ter uma dificuldade específica de aprendizagem de leiura. Essa dificuldade específica tem o nome de dislexia. As causas da dislexia ainda são controvertidas, mas já existem algumas direções claras para o atendimento das crianças com dificuldade de aprendizagem. Terezinha Nunes, Lair Levi Buarque e Peter Bryant analisam nessa monografia as controvérsias que cercam o conceito e dislexia e algumas das medidas que podem ajudar a preparar criança para a aprendizagem da leitura. Dificuldades na aprendizagem da leitura analisa não apenas o desempenho das crianças com dificuldades acentuadas de aprendizagem, mas vários aspectos da tarefa de aprender a ler e escrever que podem constituir obstáculos para todo aprendiz."

Vídeos e entrevistas sobre Dificuldades na Aprendizagem.

Ola, amigo visitante.
Neste tópico do Blog você encontra vídeos e entrevista selecionados a respeito das dificuldades no aprendizado e de alguns transtornos como a dixlexia, discalculia, TDAH  dentre outros. Especialmente selecionados para você, para que assim você possa conhecer mais, e até mesmo tirar suas dúvidas.

video

O vídeo acima trata de uma entrevista do programa “Gente Explica” tratando do transtorno neurológico mais conhecido como dislexia.
video

Já o vídeo acima também é uma entrevista com a Dra. Márcia Guimarães e vários especialistas da área.

video

O vídeo acima vai tratar de uma forma lúdica do tema “Dificuldades de Aprendizado” e de como identificar uma criança com alguma dificuldade.